Hoje (5), Dia Mundial do Mundial do Meio Ambiente, iremos chamar a atenção para a redução do consumo excessivo de produtos plásticos descartáveis.

Este dia é celebrado desde o ano de 1972 e, anualmente, a ONU – Organização das Nações Unidas – seleciona um tema atual para alerta. Em 2018, o tema escolhido foi “Combater a Poluição Plástica”, dando apoio à campanha #MaresLimpos (http://cleanseas.org/), que busca combater o lixo marinho, rompendo com a estimativa de que, se não solucionado, haverá mais plástico do que peixes nos oceanos até 2050.

De acordo com a campanha, outro grande vilão dos mares são os microplásticos, presentes em cosméticos e produtos de higiene, que medem menos de 5mm. Estima-se que pelo menos 51 trilhões dessas partículas já estão nos oceanos. Lembrando que 8 milhões de toneladas de lixo plástico – por ano –  vão para os mares, dominando os recifes de corais e ameaçando a fauna marinha vulnerável. Sem contar que o esgoto promove a proliferação de algas e bactérias, que consomem o oxigênio da água, inviabilizando a vida de espécies mais complexas, contribuindo ao processo de “eutrofização”.

A poluição causada pelo descarte de plástico é um dos maiores desafios atualmente. De acordo com a ONU, são necessários pelo menos 450 anos para a decomposição de uma garrafa plástica. Sim, é isso mesmo que você leu, 450 ANOS!

O nosso sistema de consumo é uma máquina de gerar resíduos sólidos. Por ano, são consumidas até 5 trilhões de sacolas plásticas no mundo, afirma a ONU. O lixo no Brasil cresceu 29% de 2001 a 2014, porcentagem ainda maior em relação ao número da população, que cresceu 6%.

Mas, a reflexão do uso do plástico não é a única solução para contribuir com o meio ambiente. Pensando na ecoeficiência, evitar o desperdício de alimentos também é um grande aporte, ajudando na redução da quantidade de resíduos gerados e recursos na área da produção de novos alimentos. Ou que tal repensar no consumo de equipamentos eletrônicos? Eles estão presentes cada vez mais em nossas vidas e, quando descartados de forma inadequada, podem lotar os aterros sanitários, representando assim um consumismo acelerado.

É difícil acreditar que podemos “salvar o mundo”, mas podemos fazer a nossa pequena parte. Confira 12 dicas para contribuir e aproveite para refletir na prática dos 3R (reduzir, reusar e reciclar):

– Repense no consumo de canudos e talheres de plástico

– Leve sua própria caneca para o trabalho

– Utilize sacolas de tecido

– Utilize potes de vidro

– Recolha os lixos de plásticos e papéis que encontrar em praias, matas e cachoeiras quando visitar

– Pratique a coleta seletiva na sua casa, separando: plástico, metal, papel, vidro e orgânicos

– Utilize bicicletas, faz bem à saúde

– Plante uma árvore

– Não jogue lixo no chão, carregue até a lixeira mais próxima

– Não maltrate os animais

– Utilize somente a quantidade necessária de água

– Troque as lâmpadas tradicionais por lâmpadas ecológicas (lâmpadas fluorescentes compactadas – lfc)

E aí vai dois lindos enfeites, produzidos na “Oficina Artesanato Sustentável” do evento “Movimento”, realizado pelos alunos de Gestão de Eventos no dia 02 de junho na Unidade Sumaré.

A educação ambiental é fundamental para despertar, em todos nós, a consciência do Ser Humano como parte do meio ambiente. Aproveite para conhecer os nossos Cursos de Extensão:

Gestão Ambiental

https://sumarequalifica.com.br/todas-as-areas/108-gestao-ambiental.html

Sustentabilidade e Meio Ambiente

https://sumarequalifica.com.br/cursos-de-extensao/151-sustentabilidade-e-meio-ambiente.html

Responsabilidade Social

https://sumarequalifica.com.br/cursos-de-extensao/119-responsabilidade-social.html

Se você tiver mais dicas, comente.