Por: Mauro Galasso

Atuar com docência é certamente algo único e traz inúmeros sentimentos ligados a satisfação pessoal. Atuar com o apoio e desenvolvimento de pessoas nos ensina o valor do aprendizado ao mesmo tempo que transportamos o conhecimento para novos grupos de estudo e turmas em sala de aula.

Assim como muitos cenários de trabalho, a educação também atravessa transformações ligadas à forma de gerenciar a atividade de aprendizado e cada professor (novo ou experiente) deverá reciclar as práticas pedagógicas, sempre atento a um mundo onde a tecnologia está em tudo e por isso, somos mais conectados a assuntos em que a aula deverá esclarecer ou trazer sentido prático.

O que podemos perceber é uma fragmentação de modelos antigos, para critérios mais autorais do docente. Um tipo de aula que traga mais atenção para a resolução de problemas que, por sua vez, sejam geradores de pesquisa para os conteúdos educacionais; e vice-versa. O professor desse tempo nunca esquece que ele também é aluno (seremos eternos estudantes), é persistente em propor atividades desafiadoras, alinhando tudo à capacidade de cada aluno ou turma.

Hoje a carreira de professor exige, primeiro o gerenciamento do tempo em sala de aula (plano de aulas, conteúdo exigido e interdisciplinaridade) e em segundo, trazer clareza para as atividades que fará para elevar seu futuro profissional (cursos de atualização, pós-graduação, estudar idiomas, atualizar-se em notícias e assuntos correlacionados com cada matéria). Um professor que se dedicar apenas em dar aulas, correrá sérios riscos de ficar ultrapassado em relação ritmo das mudanças do mercado e as exigências cognitivas de alunos interconectados com a informação rápida.

 Professor do século 21*

Ao avaliarmos pesquisas sobre educação em nosso país e no exterior, podemos separar aqui as principais características que compõem o perfil do professor do século 21. São situações que nos propõem uma maior reflexão sobre as novas formas de ensinar e aprender.

1)- Saber explicar bem os conteúdos: didática é uma das características mais valorizadas em um educador. Para 54% dos 18.844 mil jovens ouvidos na pesquisa “Nossa Escola em (Re)Construção”, um bom professor deve saber explicar bem os conteúdos.

2)- Propor diferentes atividades nas aulas: os jovens reconhecem um professor que consegue ir além da aula tradicional e propõe atividades diversificadas que vão além da aula expositiva.

3)- Conviver, respeitar o aluno e cuidar da sua individualidade: Além de saber ensinar, os alunos também valorizam docentes que sabem estabelecer um diálogo harmonioso. O professor é fator decisivo contra a evasão escolar. Ele deve conviver, respeitar o aluno e cuidar da sua individualidade.

4)- Acompanhar alunos com dificuldade de aprendizagem: o acompanhamento dos alunos com dificuldade de aprendizagem está entre as cinco principais estratégias adotadas por professores que alcançaram bons resultados de aprendizagem. Estudos apontam estratégias como a facilitação do diálogo entre alunos, resolução coletiva de situações-problema, leitura frequente pelos alunos e experimentos em ciências.

5)- Ser um mentor para os alunos descobrirem seus interesses e talentos: Com o crescente acesso à internet, o professor deixa de ser a fonte primária de conhecimento e se torna fundamental no papel de orientação e mediação.

6)- Dominar o conteúdo, usar tecnologia e saber se comunicar: no campo das competências técnicas é fundamental que o professor tenha domínio do conteúdo, atualização tecnológica e capacidade de comunicação.

7)- Estimular a participação dos estudantes: educadores que não conhecem e nem consideram as características e demandas dos estudantes têm dificuldade de oferecer oportunidades educativas conectadas com o seu potencial, suas limitações, seus interesses e suas necessidades.

8)- Saber mediar trabalhos em grupo: tem haver com capacidade de preparar de atividades colaborativas que impactam no aprendizado, característica considerada fundamental para um bom professor.

9)- Ser paciente e se aproximar do aluno: os estudantes brasileiros consideram a paciência e o bom relacionamento como umas das principais qualidades de um bom professor.

Ser professor continua sendo uma das atividades mais belas e gratificantes que existe. Interagir com alunos, levar conhecimento, aprender enquanto ensina, propor desafios e ver que tudo isso transforma pessoas volta em satisfação pessoal (a melhor das moedas).

Se conhecer pessoas novas a todo momento te deixa feliz, se você gosta de aprender o tempo todo e nem pensa em rotina, a carreira de docente é um caminho. Professor é uma carreira valorizada ao longo do tempo e abre portas em escolas, concursos públicos e trabalhos temporários ou por projeto. Justamente pela capacidade de adaptação a cenários e as mudanças de mercado que a profissão de docente desenvolve.

 

*Fonte de apoio: porvir.org 

Quer saber mais sobre a Sumaré acesse.