Por:

Levantamento do site Quero Bolsa mostra o domínio feminino nos cursos superiores. Elas são 57% dos alunos matriculados.

 

Quem ainda usa aquela velha frase machista “lugar de Mulher é na cozinha” está muito por fora. Lugar de Mulher é onde ela quiser, sendo que um desses lugares é a faculdade. O espaço nas salas de aula do ensino superior já está conquistado. As estudantes representam 57% dos alunos matriculados. De acordo com um levantamento feito pelo Quero Bolsa, esse percentual está consolidado. Ao avaliar os dado do Censo do Ensino Superior do MEC, desde 2009, o departamento de Inteligência do site constatou que a participação feminina nos cursos de graduação se mantém estável.

É graças a elas que o curso de Pedagogia é o terceiro com mais alunos no País. São 673 mil estudantes matriculados, sendo que 93% são mulheres. À frente de Pedagogia estão, em primeiro lugar, Direito, com 860 mil alunos, e Administração, com 708 mil. Em ambos, as mulheres também são maioria, com 55% dos matriculados.

Ranking Feminino

Em quase todas as análises feitas pelo Quero Bolsa, o curso de Pedagogia apareceu em primeiro lugar na preferência das mulheres, exceto entre as alunas com menos de 25 anos, matriculadas em instituições de ensino privadas. Esse público prefere Direito, em primeiro lugar, e Administração, em segundo. Exatamente a ordem encontrada no ranking geral que leva em consideração homens e mulheres de todas as idades.

Já as alunas mais jovens, matriculadas em faculdades públicas preferem, pela ordem, Pedagogia, Direito e Ciências Biológicas. Administração ficou em quarto lugar, seguido de Gestão de Recursos Humanos e Gestão Financeira.

A diferença de preferência de cursos entre as alunas do ensino público e do ensino privado fica ainda mais expressiva quando a comparação é feita entre as mulheres acima de 30 anos.

Enquanto as estudantes de instituições públicas preferem os cursos de licenciatura, as da rede privada escolhem suas carreiras entre saúde e administração.

Uma hipótese provável para esse comportamento é que, no momento da decisão sobre qual curso seguir, elas levam em conta o custo do curso versus a possibilidade de remuneração após a formatura. Nesse caso, via de regra, os mercados de saúde e administração oferecem salários melhores do que a área de educação. Ou seja, já que é necessário investir tempo e dinheiro na faculdade, melhor que a perspectiva de ganho seja mais promissora.

 

 

Quer saber mais sobre a Sumaré acesse: Vestibular 2019.

#VEMPRASUMARE