Atualizados no final de agosto de 2019, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que a taxa de desemprego no Brasil caiu 0,7 ponto percentual, porém ainda há mais 12,6 milhões de pessoas desempregadas em todo território nacional.

Como conseguir se destacar nesse cenário em que não há promessa de melhora em um futuro próximo? Segundo dados do Índice de Empregabilidade do Ensino Superior, realizado em 2018 pelo Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino superior no Estado de São Paulo (Semesp), pessoas com Ensino Superior completo conseguem sofrer um pouco menos com a crise empregatícia que afeta o Brasil.

Essa pesquisa mostrou que, no primeiro trimestre de 2018, a quantidade de pessoas empregadas e que tinham graduação aumentou em 2,2%.

E esse não é o único dado que mostra o quanto um diploma faz diferença no mercado de trabalho: um trabalhador com graduação ganha 129% a mais do que a média nacional, é o que mostra um estudo feito pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Apesar de diversas pesquisas mostrarem a necessidade do diploma de Ensino Superior, uma das consequências da crise econômica, a educação deixa de ser uma prioridade para a maioria das pessoas.

Entretanto, há uma modalidade que está em constante crescimento há alguns anos e é uma alternativa para que muitos jovens adultos consigam concluir sua graduação por um preço muito mais acessível e que permite a flexibilidade de poder estudar quando e onde puder: a Educação a Distância.

 

O que é o EaD?

 Segundo, Ivete Palange, conselheira da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), o EaD é a modalidade de ensino em que há uma separação física entre o educando e o educador. Ou seja, não é preciso que os dois estejam no mesmo local para que as aulas aconteçam.

O decreto que regulamenta essa modalidade foi atualizado em 2017 pelo ex-presidente da República Michel Temer.

Art. 1º Para os fins deste Decreto, considera-se educação a distância a modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorra com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com pessoal qualificado, com políticas de acesso, com acompanhamento e avaliação compatíveis, entre outros, e desenvolva atividades educativas por estudantes e profissionais da educação que estejam em lugares e tempos diversos  – Atualização da Regulamentação da Educação a Distância (Decreto 9.057/2007).

 Assim como explica o decreto, as aulas de cursos EaD são intermediadas por recursos tecnológicos como, por exemplo, material online, chats de conversas, palestras online, entre outras formas que permitam que o aluno consiga estudar a qualquer momento.

É importante frisar que muita essa modalidade ainda exige encontros para avaliações e/ou apresentações de trabalhos nos polos, que são pequenas unidades da faculdade que oferece o curso EaD. Além disso, é possível receber tutoria de professores, seja de forma presencial ou online.

É preciso de vestibular para estudar no EaD?

Apesar de o curso ser feito de forma online, o vestibular é necessário, visto que é uma obrigatoriedade para todo e qualquer tipo de graduação desde a publicação da Lei 9.394/96.

Entretanto, o que pode acontecer é a faculdade determinar se o processo seletivo será feito de forma presencial ou online. “É preciso verificar na instituição de interesse como é o processo de ingresso que pode ser por vestibular, pelo exame do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), pela transferência de cursos, entre outros”, explica Ivete.

Validade do diploma de cursos de Educação a Distância

A certificação de graduação na modalidade EaD possui a mesma validade de cursos presenciais.

E, apesar de muitos terem essa crença, segundo o Ministério da Educação (MEC), não há nenhuma diferença entre os diplomas, independentemente da modalidade escolhida.

Além disso, no papel que mostra a certificação não deve mencionar se o curso foi feito de forma presencial ou a distância.

Fonte: Revista Quero – por Isabela Giordan